2020

A CriptoFunk é um evento gratuito que reúne debates, oficinas e festa sobre cuidados físicos, digitais e internet, inspirada no movimento global das Criptofestas. Com o lema “Criptografe dados, descriptografe o corpo”, a CriptoFunk busca promover a autonomia e liberdade das pessoas frente à influência das tecnologias em suas vidas. Em um mundo em que a internet ganha cada vez mais centralidade no cotidiano de grande parte da população, as discussões sobre liberdade de expressão, privacidade na internet, algoritmos, direitos humanos e cuidados integrais (físicos, digitais e psicossociais) se tornam cada vez mais urgentes. 

 

O evento acontece tradicionalmente no Complexo da Maré, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Neste ano, em virtude da pandemia de covid-19, o evento será completamente online e terá como temas “Liberdade, Futuro e Cura”.

PROGRAMAÇãO 2020

19/10_segunda 19h

ABERTURA-AULÃO

corpo, liberdade e funk

com Taisa Machado e Andreza Jorge

 

no canal da criptofunk

20/10_terça 19h

OFICINA-EXPERIMENTO

conexão-vielas: hackeando o controle cibernético

com Lilica Santos

 

Atividade: Será realizando um mergulho na formação das favelas e o uso das tecnologias como ferramentas colonizadoras, analisando e propondo reflexões a partir de músicas e poesias produzidas por artistas favelados e trechos da obra literária “Becos da Memória” de Conceição Evaristo.


Duração: 2h

 

Minibio: Lilica Santos é moradora do Pirambu e faz parte do Fórum de Negros – CS-UFC. É Poeta, Art-educadora, Estudante de Ciências Sociais, Produtora e Facilitadora do Projeto Traficando Saberes.

 

Link disponível por email, horas antes da atividade. É necessário fazer inscrição. 

21/10_quarta 19h

OFICINA-EXPERIMENTO

tecnologia ankhcestral como ferramenta de cuidado

com Beatriz Freitas


Atividade: A intenção dessa oficina-experimento é pensar como a tecnologia e o cuidado se relacionam e possuem uma dimensão que interfere diretamente, e profundamente, em nós, pessoas negras. E, como, entendido de forma ankhcestral, nos dá possibilidades de enxergar novos hábitos, partindo do entendimento da tríade corpo-mente-espírito, dialogando com o contexto social das favelas e quebradas. Vamos fazer um percurso de Sankofa, refletindo a importância de alimentar referências do legado do povo negro e o que os mais velhos já diziam à respeito de cuidado, e o que eles consideram tecnologia. 

 

Duração: 2h

 

Minibio: Beatriz Freitas é de Fortaleza-CE, moradora do Grande Bom Jardim. Historiadora em constante formação, educadora e pesquisadora. Integra o Fórum de Negras e Negros da História – UFC. Mulher negra, LGBT.

 

Link disponível por email, horas antes da atividade. É necessário fazer inscrição. 

22/10_quinta 19h

OFICINA-EXPERIMENTO

a história do funk e suas tecnologias

com Ingrid Nepomuceno

 

Atividade: Construção de uma linha do tempo com a história do funk e as mudanças do modo de produção desse estilo musical, e apresentação de uma ferramenta online simplificada de produção musical para que todes possam ver a construção de uma música e em seguida praticar. 

 

Duração: 40min

 

Minibio: Ingrid Nepomuceno é DJ, pesquisadora de funk, produtora musical e produtora cultural em formação pela Universidade Federal Fluminense. Com 5 anos de carreira, é um dos principais nomes da cena underground do Rio de Janeiro, residente da festa mensal Recalcada e integrante do coletivo Ghetto Run Crew. Já se apresentou em várias cidades do estado do Rio, na cidade de São Paulo e em Porto Alegre.

 

Link disponível por email, horas antes da atividade. É necessário fazer inscrição. 

23/10_sexta 19h

OFICINA-EXPERIMENTO

Bailada nervosa – traga seus dispositivos, disfarces, desejos e dados

Com volooptaz e data_labe

Atividade: Oficina-festa-rito sensorial por uma nova Internet! Um ritual tecnoeucarístico de liberdade que irá disponibilizar um multiverso de plataformas e ferramentas de software livre, criptografia e cuidados digitais para que as participantes experimentem e explorem novos caminhos online. Estes softwares irão compôr a Igreja em cuja Santuária iremos preparar o solo e plantar as sementes da Internet do futuro em nossos corpos e mentes ao som de funk, trap e rap, seus cruzamentos e influências. Brota!

Duração: 2h

 

Minibio: No Data Labe, começamos a vislumbrar ferramentas mais seguras de uso e colaboração online. A inquietação do desconhecimento dessas ferramentas, bem como o contexto atual de insatisfação com algumas ferramentas online fez nascer a vontade de um podcast que culminou nesta atividade. Eu, volooptaz, cria da Criptofunk,  tenho experiência como DJ e performer e venho conduzindo pesquisa e trabalhos em reproduzir estruturas ritualísticas em sets e obras visuais e em construir com eles espaços de confiança e segurança, e através de minhas redes sociais (também como @lucs2080) consegui convidar pensadores/programadores não hegemônicos a comporem este evento manifesto.

link disponível no dia da atividade!

27/10_terça 19h

Arte, mídias táticas, gênero e polifonia: vinte anos da contracultura digital brasileira sob a perspectiva de mulheres com tatiana wells, giseli vasconcelos e cristina ribas

Atividade: Em um tempo em que memória, dado e lixo-ruído-noise permeiam todos os processos de nossas vidas, narrar essa memória, atualizar táticas e práticas, torna-se um enfrentamento necessário para os tempos sombrios que vivemos, se já não fosse por puro desejo de cuidado. Esta oficina-experimento é um convite para discutir a memória dos vinte anos da internet brasileira, sob a perspectiva de mulheres. 

Duração: 3h

Minibio:

Tatiana Wells

Carioca radicada em Pipa, litoral sul Potiguar. Co-construiu encontros, espaços e trabalho nas interseccoes de midia tatica, movimentos de luta autônoma e tecnologias livres. É também cozinheira vegana, enquanto não escreve sobre ativismos “digitofágicos” (Rosas, 2004) para sua dissertação.

 

Giseli Vasconcelos

Artista interdisciplinar e web developer, amazônida residente entre RJ e NY. Desenvolve festivais, workshops, exibições e publicações que discutem mídias e tecnologias relacionadas ao cenário brasileiro de arte e ativismo. Seus projetos se caracterizam pela junção de mídias táticas e pedagogias radicais relacionadas à cultura de internet. 

 

Cristina Ribas

Trabalha como artista, pesquisadora e professora. Concebe projetos entre estética e política, pesquisa militante e análise institucional, e mais recentemente feminismos. Concebeu a plataforma online Desarquivo.org para livre uso em 2011. Desde 2017 está com Gi e Tati nos Arquivos Táticos. Atualmente mora novamente em Porto Alegre depois um tempo no Rio de Janeiro, e fora do Brasil onde fez doutorado e talz.

Link disponível por email, horas antes da atividade. É necessário fazer inscrição. 

28/10_quarta 19h

OFICINA-EXPERIMENTO

funk_lab

Composição sonora acústica e eletrônica, a partir de uma investigação da célula rítmica do funk

com Rodrigo Maré e Dj Renan Valle.

 

no canal da criptofunk

29/10_quinta 19h

ENCERRAMENTO

Liberdade de expressão a partir do funk do jornalismo e da política

com Andrea Bak, Bruno Sousa, Elena Wesley e Jeff Delgado

 

no canal da criptofunk
A Criptofunk é resultado de um trabaho colaborativo entre data_labe, Intervozes, Mapa das Mina, Observatório de Favelas e Redes da Maré.